O leite tipo A precisa ser pasteurizado e homogeneizado. A pasteurização é o processo térmico em que o leite é aquecido a 75°C por 20 segundos. O objetivo deste aquecimento é eliminar as bactérias que podem ser prejudiciais e preservar bactérias que fazem bem a saúde como os lactobacilos, que são reguladores naturais do trato gastrintestinal. Além disso, a pasteurização mantém os nutrientes originais do leite e preserva o sabor. A homogeneização é a “quebra” dos glóbulos de gordura presentes no leite em frações menores.

O leite tipo A é definido como o leite produzido e envasado na própria fazenda proveniente de um único rebanho. Neste caso a fazenda produtora do leite deve ser denominada de granja leiteira e deve possuir todos os controles zootécnicos e de sanidade do rebanho para estar apta a produzir este leite. A unidade de processamento do leite deve ser anexa à sala de ordenha e o leite não pode sofrer contato manual desde a ordenha até o envase. Existe neste sistema, controle total dos processos, com rastreabilidade completa do ciclo de produção, desde o nascimento dos animais, passando por sua alimentação, controles de saúde até a obtenção do leite com extrema higiene e qualidade. O produto resultante é um leite com alta qualidade nutricional.

A2A2 é simplesmente a genética da vaca. Para nascer assim, ela precisa ser filha de um touro A2A2 e de uma vaca A2A2, uma vez que é o gene recessivo.

Esta genética faz com que elas produzam naturalmente um leite sem a proteína beta-caseína A1.

Todo leite Letti é proveniente apenas de vacas A2A2. Isso significa que todos os nossos produtos são de fácil digestão por conterem apenas a proteína beta-caseína A2. Estudos sugerem que a proteína beta-caseína A1 (encontrada em todos os leites e derivados comuns) pode não ser tão fácil de digerir para algumas pessoas.

Não. O processo de pasteurização tem como objetivo garantir a eliminação de todos os agentes que não fazem bem para a nossa saúde, portanto não é necessário ferver antes de tomar. A pasteurização pode ser considerada a forma industrial de fervura do leite. Portanto, é seguro consumir leite pasteurizado sem ferver.

BDK é uma certificadora de produtos Kosher. O BDK conta com uma equipe experiente e altamente qualificada que presta serviço de avaliação e certificação kosher para indústrias alimentícias de diversos portes e outros tipos de estabelecimentos do ramo alimentício, em todo o Brasil, trabalhando com centenas de indústrias, com milhares de produtos aprovados, os quais são divulgados através dos sites www.bdk.com.br e www.lkp.com.br. As informações sobre ingredientes, formulações e processos são avaliadas pelo rabinato do BDK, que é qualificado e tem a função de aprovar ou reprovar o produto para o consumo Kasher. Para receber esta certificação, a empresa deve respeitar uma série de regras, principalmente relacionadas a processos rígidos de higiene e de bem estar animal.

A validade de cada produto é determinada pela própria indústria produtora.
O nosso leite é totalmente puro, sem a adição de nenhum componente para ajudar a conservar. O diferencial está na qualidade da matéria prima que chega no laticínio. O leite entra com uma carga baixíssima de CCS e isso contribui para uma vida maior após o processo de pasteurização.

Sim. Todos os nossos produtos são extremamente frescos e dependem da refrigeração para continuarem bons para o consumo.

A nossa recomendação é que o consumo seja imediato, aproveitando os benefícios do alimento fresco. Congelar o leite pode modificar algumas de suas propriedades como a gordura e então, alterar cor, sabor e aroma.

Nossas porterias estão sempre abertas! É só agendar sua visita de acordo com a nossa disponibilidade.
Faça o pré agendamento direto no nosso site https://127.0.0.1/wordpress//nossa-fazenda

A alimentação dos animais é à base de silagem de milho o ano todo. Silagem é o produto resultante de fermentação realizada por bactérias sem a presença do oxigênio, do pé de milho picado e acondicionada em silos. Este processo de produção de silagem denomina-se ensilagem e seu valor nutritivo é semelhante ao da planta verde com a grande vantagem de conseguirmos conservá-la estocada e com a mesma qualidade o ano todo. Além da silagem de milho os animais recebem ração a base de grãos como soja, algodão e uma mistura de vitaminas e minerais.
A alimentação controlada, rastreada e constante (sem mudança de ingredientes da dieta) auxilia muito na qualidade do leite, mantendo os componentes como gordura e proteína estáveis em quantidade e conferindo qualidade tecnológica e sensorial aos produtos finais fabricados.
Além disso, 100% das forragens consumidas pelas nossas vacas são plantadas aqui na fazenda sem o uso de agroquímicos.

Nossas vacas vivem sob um sistema denominado free stall ou estabulação livre.
Este sistema permite que os animais escolham em qual ambiente preferem ficar: no pasto ou no conforto do estábulo usufruindo de toda infraestrutura – ventiladores nos tetos, coçadores em todas as estações, água e comida disponíveis 24h, camas de areia e sprinklers em dias quentes para amenizar o calor.

Nós podemos apenas afirmar apenas que todos os nossos produtos são de fácil digestão por conter apenas a proteína beta-caseína A2. É imprescindível que todas as pessoas que tiverem qualquer restrição alimentar devem ter um acompanhamento médico antes de experimentar qualquer alimento.

Aqui na fazenda, além de respeitarmos o tempo de produção da vacas, nós fazemos questão de produzir sob demanda para garantirmos sempre um produto fresco e evitarmos desperdício.

A Fazenda da Letti A² é a Agrindus e fica em Descalvado, interior de São Paulo.
O nosso laticínio fica dentro da fazenda a 30 metros de distância da ordenha.
Nosso processo é 100% rastreável!